Brexit causa forte reação

Thomas Hartmann
Thomas Hartmann O evento mais marcante no curso dos dois meses cobertos por esta edição foi o referendo que decidiu pelo desligamento da Grã Bretanha da União Europeia. A decisão, que passou a ser conhecida em todo mundo pelo apelido “Brexit”, provocou fortes reações em todos os mercados de ativos de risco e derrubou a cotação da libra esterlina contra o dólar para seu valor mais baixo de 31 anos. O efeito sobre o mercado de cacau foi uma vertiginosa queda de US$ 160 da cotação do contrato mais negociado na Bolsa de Nova York em 24 de junho, dia da publicação do resultado, concomitante com uma explosiva alta de £60 do mesmo contrato na Bolsa de Londres. Fora desse episódio não houve ocorrências de maior impacto no cenário fundamental e o comportamento das bolsas continuou sob a influência dominante das manobras dos grandes operadores especulativos. Até meados de julho, os preços evoluíram basicamente para o lado, dentro de uma faixa delimitada por US$ 2.960 e US$ 3.180, quando sofreram o impacto de uma campanha agressiva de vendas de fundos especulativos e caíram para US$ 2.835 no último dia de julho, nível mais baixo desde meados de fevereiro, de onde começaram a mostrar sinais de recuperação. As notícias do campo fundamental não trouxeram maiores novidades e pouco influíram no comportamento dos preços. As moagens do segundo trimestre de 2016 aumentaram em todos os mercados consumidores compensando uma redução acentuada na África, provocada pela queda da produção na Costa do Marfim

 

Para continuar lendo cadastre-se gratuitamente.

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.
Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo.

 

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório