A opção que faltava

Camargo introduz com exclusividade a primeira impressora digital para flexíveis

Impressão digital pequenas tiragens ao alcance de campanhas e promoções sazonais.
Um ponto historicamente vulnerável do setor de confeitos (confectionery) sempre foi o (não) aproveitamento de datas temáticas para acelerar o giro de produtos. Entre as dificuldades para viabilizar campanhas sazonais, a criação de embalagens específicas para essas ocasiões tem como restrição a baixa tiragem. Dominante na maioria dos projetos, a impressão por rotogravura impõe limite mínimo de embalagens, além de outras complicações, como a necessidade de set ups, clichês e cilindros, onerando os custos de uma promoção. “Investimos nas pequenas tiragens e, com a tecnologia que dispomos hoje, temos condições de atender, por exemplo, pedidos a partir de 50 quilos, quando o mínimo para rotogravura é de 1.000 quilos”, confronta Ricardo Toledo, diretor da Camargo Cia de Embalagens, pêndulo do fornecimento de flexíveis para o reduto de confectionery, com planta instalada em Tietê (SP). Toledo pedidos mínimos agora a partir de 50 quilos. Com capacidade instalada para 850 toneladas mensais,

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.

Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo gratuitamente.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
COMPARTILHAR
Matéria anteriorO cinto apertou
Próxima matériaVolatilidade continua