Um brinde à vida saudável

Mintel confirma que os brasileiros estão mais propensos a consumir sucos e refrescos

Um brinde à vida saudável
Photo by Element5 Digital on Unsplash
Festas juninas e Copa do Mundo são eventos que, geralmente, servem de impulsionadores da indústria de bebidas alcoólicas, já que a animação das comemorações tende a estimular esse consumo. No Brasil, no entanto, a categoria enfrenta atualmente alguns desafios. Ao mesmo tempo em que a economia ainda se recupera, os consumidores ficam mais cautelosos em relação ao que comem e bebem. Pesquisa saída do forno da Mintel confirma que os brasileiros estão adotando hábitos alimentares mais saudáveis e evitando ingredientes como glúten e álcool. “O estudo mostra que quatro em cada dez brasileiros (44%) concordam com a afirmação: “limitar o consumo de álcool faz parte da minha rotina de cuidados com a saúde”, repassa Ana Paula Gilsogamo, especialista em Alimentos e Bebidas da Mintel. Na entrevista a seguir, ela detalha esse e outros pontos levantados na pesquisa, sinalizando oportunidades para outras categorias de bebidas e guloseimas, a exemplo de sucos, refrescos, doces e snacks especiais. Ana Paula, da Mintel: drinks saudáveis podem atrair o público cauteloso. DR – O que mais os brasileiros dizem a respeito do consumo de bebidas alcoólicas? Ana Paula – A pesquisa da Mintel revela que 44% dos entrevistados manifestaram aprovação à limitação do consumo de álcool. Além disso, dois em cada cinco, ou 38% da amostra, dizem: “estou gastando menos com bebidas alcoólicas”. E 31%, ou um terço dos pesquisados, alegam que gostariam de ter mais opções de bebidas alcoólicas prontas para beber misturadas com bebidas sem álcool, como suco de frutas ou refrigerante. O

 

Para continuar lendo cadastre-se gratuitamente.

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.
Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo.

 

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
COMPARTILHAR
Matéria anteriorQuase sobrenatural
Próxima matériaMercado oscilante