Solução à vista

Desde julho, uma proposta da Nestlé ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para a solução da pendência de concentração envolvendo a compra da Garoto, em 2002, está sob análise do conselheiro Alexandre Cordeiro Macedo. Até o início de setembro, ele ainda não havia sinalizado quando levará o caso ao plenário. Vozes do ramo cogitam que a Nestlé propõe perder a liderança em chocolates, dando solução a uma disputa de 12 anos entre a empresa e o Cade. Em 2004, dois anos após a aquisição da Garoto, o conselho decidiu impedir a união ao concluir que a Nestlé totalizaria 58% do mercado de chocolates no país, com prejuízo para a concorrência. A Nestlé foi à Justiça e, em 2007, obteve vitória em primeira instância, abrindo disputas nos tribunais. A proposta envolve a venda de algumas marcas, ainda não especificadas. Segundo o jornal O Globo, a Nestlé estaria disposta a se desfazer do Serenata de Amor, marca campeã de bombom da Garoto.  No ano passado, a fatia total da Nestlé no mercado brasileiro era de 43%, cabendo 23% à operação da Garoto. Segundo dados da  Euromonitor International, a Hershey elevou sua participação de 3% para 4% entre 2006 a 2015 e a Ferrero ganhou um ponto percentual em igual período, subindo para 3,7 %. Vice-líder do mercado de chocolates, a Mondelez  saiu de uma fatia de 33% para 31%, em nove anos, capta a consultoria. Desde o veto do Cade, a Nestlé e a Garoto mantêm operações e administrações separadas. A

 

Para continuar lendo cadastre-se gratuitamente.

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.
Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo.

 

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
COMPARTILHAR
Matéria anteriorContra a maré baixa
Próxima matériaFarinha inovadora