Riqueza que sai da planta

Agropalma investe R$ 260 milhões para aumentar oferta de óleo de palma no mercado interno

Óleo de palma refinaria paulista eleva a produção para 254 mil toneladas.
Supridora-chave de óleo de palma na América Latina, a Agropalma cortou em julho a fita inaugural de sua segunda refinaria no país. Localizada em Limeira (SP), a unidade absorveu R$ 260 milhões e demarca um novo posicionamento logístico da companhia, aproximando o fornecimento de óleo e produtos derivados do seu maior mercado consumidor. “A ideia era ficarmos mais perto dos clientes, e 65% do consumo de óleos vegetais do país está entre as cidades num raio próximo, em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte”, argumenta Marcello Brito, diretor geral da Agropalma, braço do Conglomerado Alfa. Ele acrescenta que, com a entrada em operação da planta prevista para agosto, a expectativa é chegar ao final do próximo ano com o faturamento na casa de R$ 1 bilhão, cerca de 40% a mais que os R$ 700 milhões registrados em 2015. Com capacidade de 144 mil toneladas (t) de óleo de palma por ano, a refinaria limeirense parte com potencial acima das 110 mil t da outra planta da companhia, no Pará. Segundo Brito, o complexo será multióleos e capaz de processar também extratos de outras origens vegetais, como soja, girassol ou canola. “A grande vantagem é ter flexibilidade para produzir o blend que o cliente necessita”, destaca ele, acrescentando, por exemplo, que certas formulações obrigatoriamente pedem misturas de óleos vegetais. Entre os avanços tecnológicos da refinaria, Brito ressalta o sistema de fracionamento (separação da parte líquida da sólida) de óleos láuricos, como o de palmiste, originado do caroço da palma

 

Para continuar lendo cadastre-se gratuitamente.

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.
Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo.

 

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório