Preferência nacional

Estudo recente sobre o consumo de chocolate no Brasil, levado a cabo pela consultoria de inteligência de mercado Mintel, complementa a reportagem de capa da presente edição, que traz análises, previsões e comentários sobre a movimentação que antecede a Páscoa. Entre outras constatações interessantes, a consultoria capta que os consumidores brasileiros têm grande interesse por chocolate de lojas especializadas. Redes como Kopenhagen, Ofner, Brasil Cacau, Di Siena e Cacau Show ocupam um mercado de nicho, comparado a fabricantes globais como Arcor, Nestlé, Garoto, Hershey, Ferrero, Mars e Mondelez. Seus canais de distribuição são bem menores e os produtos são normalmente oferecidos em lojas de marca própria em vez de comercializados por grandes distribuidoras e redes do atacado e varejo nacional. Líderes do mercado em termos de lançamentos, a Cacau Show e a Kopenhagen mostram maior competitividade e puxam com suas marcas as inovações dentro da categoria. O grupo CRM, dono da Kopenhagen, por exemplo, modernizou sua linha de tabletes, incluindo chocolates inspirados em sobremesas famosas. Produtos como esses são altamente desejados pelos brasileiros, apura a Mintel, pois 91% dos consumidores de chocolate afirmam que provavelmente comprariam esses chocolates de lojas especializadas. Outra faceta – de certo modo previsível – flagrada no estudo foi que o apoio a causas sociais melhora a imagem das empresas. As marcas poderiam se destacar ainda mais na competição apoiando causas sociais, já que 93% dos consumidores pesquisados afirmam que provavelmente comprariam chocolates de marcas que apoiam causas sociais, como doações a instituições de caridade. Entre

 

Para continuar lendo cadastre-se gratuitamente.

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.
Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo.

 

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
COMPARTILHAR
Matéria anteriorUnião global
Próxima matériaEdição 263