Preços deprimidos

Ronaldo Lima Santana
Ronaldo Lima Santana O período de julho até 21 de agosto mostrou preços em movimento de queda no mercado de futuros da Bolsa de Nova York, oscilando em um intervalo de 10,44 cents/lb e 12,64 cents/lb. Nesse período, em centavos de reais por libra – que mostram a remuneração ao produtor –, a oscilação de preços foi de 35,90 a 39,74. O principal fator que levou os preços a apresentar esse movimento de baixa foi a pressão exercida pelos elevados estoques mundiais. Eles continuam prevalecendo no mercado, mesmo diante das mais recentes estimativas para a safra mundial de 2015/2016 sinalizarem déficit. Ou seja, a partir da próxima safra mundial, com início em outubro próximo, cria-se a expectativa de reversão do cenário de preços. Porém, por enquanto, os preços seguem deprimidos. O evento climático El Niño é, no momento, o único fator que poderia trazer uma expectativa de recuperação de preços de curto prazo. O gráfico a seguir mostra o comportamento dos preços do açúcar demerara na Bolsa de Nova York, tomando como base o 1º vencimento de outubro/15. No caso do açúcar negociado no mercado doméstico – Estado de São Paulo –, os preços apresentaram relativa estabilidade. Com as cotações internacionais apresentando viés de baixa, o mercado interno de açúcar não apresentou mudanças significativas em sua dinâmica. Houve, no período, um relativo equilíbrio entre oferta e demanda, inibindo a pressão de qualquer um dos lados. Esse quadro acarretou preços relativamente estáveis, como pode ser observado no gráfico de preços semanais.

 

Para continuar lendo cadastre-se gratuitamente.

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.
Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo.

 

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório