Planta aromática

Firmenich expande cobertura à América Latina com unidade específica para encapsulados

A suíça Firmenich inaugurou oficialmente no fim de outubro sua fábrica de aromas encapsulados em Cotia (SP). Instalada no km 26 da Rodovia Raposo Tavares, a unidade foi construída no mesmo local da antiga sede, que foi desativada para a implantação das linhas de produção de Durarome Aromatic e Flexarome. Operando como um centro para tecnologias de encapsulação para toda a América Latina, a instalação reúne condições de conferir maior velocidade a fornecimentos para as principais tecnologias de aromas encapsulados do grupo. A encapsulação consiste em isolar do meio externo, por uma barreira material, molécula química/biológica ou partícula sólida/líquida/gasosa, um determinado aroma ou fragrância por um tempo determinado. “Este investimento significativo reflete a importância estratégica do Brasil, um mercado crucial para a Firmenich nos últimos 65 anos”, assinala Gilbert Ghostine, CEO da Firmenich. Para ele, o centro para tecnologias encapsuladas vai permitir o desenvolvimento de soluções mais competitivas para os clientes, com maior velocidade de comercialização, ao mesmo tempo em que a companhia aperfeiçoa a sua pegada ambiental. As marcas Durarome Aromatic e Flexarome fazem parte da linha icônica de aromas encapsulados da empresa, a Encapsolutions, que acentua a experiência de degustação de sabores, acrescenta Chris Millington, presidente da divisão de aromas. “Ajudar clientes a atender às necessidades de seus consumidores é a pedra angular do nosso negócio”, sublinha ele, completando que a capacidade adicional da planta em São Paulo será acionada para atendimento de toda a América Latina. Sem abrir valores, o executivo informa que o aporte aplicado para

 

Para continuar lendo cadastre-se gratuitamente.

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.
Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo.

 

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
COMPARTILHAR
Matéria anteriorO que os olhos veem
Próxima matériaSede com moderação