Imprevisibilidade à vista

Thomas Hartmann
A previsão de volatilidade do mercado de cacau, publicada em meados de fevereiro, confirmou-se. Nos dois meses e meio desde então os preços do contrato mais negociado na Bolsa de Nova York chegaram a superar o marco de US$ 3,000, despencaram em seguida para US$ 2,700, aproximando-se ao ponto baixo do início de fevereiro, e avançaram novamente para fechar em US$ 2,943, no último dia de abril. A alta inicial foi obra da ação especulativa em reação a rumores que as safras dos dois grandes produtores africanos, Costa do Marfim e Gana, poderiam enfrentar dificuldades. Sem a confirmação desses rumores, o quadro fundamental baixista voltou a predominar e os preços entraram em declínio sob a pressão combinada de vendas das próprias origens africanas e dos fundos especulativos, amplificada pela alta do dólar e a consequente baixa das commodities em geral. Entretanto, ao cair para o patamar de US$ 2,700, o

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.

Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo gratuitamente.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
COMPARTILHAR
Matéria anteriorAquele algo mais
Próxima matériaEstoques elevados