Expectativa de retomada

Como já é praxe no comércio e indústria do setor doceiro, o segundo semestre de cada ano, por mais inconsistente que seja o movimento geral, sempre é aguardado com expectativa de melhora. É o caso do presente exercício, conforme captam os radares da Serasa Experian e Abad (Associação Brasileira dos Atacadistas e Distribuidores de Produtos Industrializados). Segundo as entidades, a procura por crédito por parte dos varejistas junto ao atacado – para renegociação de prazos e/ou recomposição de estoques – cresceu 5,5% no primeiro semestre de 2017, em relação ao mesmo período do ano passado. Para se ter uma ideia dessa reação, a demanda das empresas em geral por crédito registrou queda de 4,5% no primeiro semestre de 2017 em comparação ao mesmo período do ano anterior. Na comparação de 2016 com 2015, o setor atacadista enfrentou recuo de 13,8% na demanda de crédito feita pelo varejista brasileiro. Os dados foram apresentados, no início de agosto, no congresso e feira da cadeia de abastecimento, realizado pela Abad, em São Paulo. Diante da retração geral da demanda empresarial por crédito – com vendas e produção estagnadas e consequente diminuição na necessidade de capital de giro para a produção –, os números apurados pelo setor atacadista podem ser comemorados. Eles sinalizam, sobretudo, que a necessidade de abastecimento do varejo, principal cliente do atacado – inclusas as operações especializadas em candies –, está sendo retomada, com expectativa de melhoria no faturamento, volume e rentabilidade dos agentes de distribuição. Entre as regiões do país,

 

Para continuar lendo cadastre-se gratuitamente.

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.
Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo.

 

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
COMPARTILHAR
Matéria anteriorParque saindo do forno
Próxima matériaEdição 260