Campo fértil para crescer

Organis faz primeiro levantamento nacional sobre o consumo de produtos orgânicos

Ming Liu: apenas 15% da população urbana compram produtos orgânicos. Os consumidores brasileiros em sua maioria não se interessam, não compram e não relacionam alimentos orgânicos a empresas e marcas com nome feito nesse ramo de negócio. A maior parte dos que valorizam o selo de orgânico e consome itens do segmento com alguma frequência restringe as compras a verduras, legumes e frutas, por conta do alto preço cobrado por esses produtos. Uns poucos realmente buscam, por exemplo, um chocolate com a tarja. ”Isso ajuda a explicar a dificuldade do segmento em verticalizar sua cadeia”, comenta Ming Liu, diretor executivo do Organis (Conselho Brasileiro da Produção Orgânica e Sustentável), ao anunciar os resultados de uma pesquisa inédita realizada em nove capitais de quatro regiões do país, entre março e abril. Primeiro no gênero dedicado ao tema, o levantamento constatou que apenas 15% da população urbana entrevistada alegaram ter consumido algum alimento ou bebida orgânica no último mês. Na entrevista a seguir, Ming Liu detalha os resultados da pesquisa. Fonte: Organis DR – O que motivou a realização desse estudo? Ming Liu – O Brasil dispõe de poucos dados oficiais sobre o mercado orgânico. Precisávamos ter o perfil por região, com consumo, costumes e percepção do consumidor de orgânicos. Essa pesquisa ajudará nas estratégias comerciais dos produtores, empresas e varejistas. Se há cerca de 600 feiras orgânicas mapeadas no Brasil e a cada ano o crescimento do setor chega em 20%, temos um potencial de aumento do consumo. DR – Como

 

Para continuar lendo cadastre-se gratuitamente.

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.
Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo.

 

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório