Andando de lado

836
Thomas Hartmann
Aforte queda dos preços do cacau, iniciada no final de setembro, prosseguiu nas primeiras semanas de novembro e a cotação do mês mais negociado na Bolsa de Nova York chegou a mergulhar brevemente para abaixo de US$ 2800, nível não visto desde janeiro. A partir do meio do mês, no entanto, o movimento de baixa estancou e os preços voltaram a evoluir para o lado, num cenário de consolidação. Esta coluna relatou, na edição anterior, a contenda entre dois grupos de analistas do mercado de cacau com visões divergentes a respeito da evolução dos preços. O grupo que chamamos de “altista”, mas que na verdade deveríamos ter chamado de “menos baixista”, achava que os preços já estariam chegando a patamares onde encontrariam suporte e deixariam de continuar caindo, sendo contestado pelo outro grupo, que ainda previa o prosseguimento da queda até níveis de US$ 2700 ou mesmo US$ 2600. Pelo

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.

Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo gratuitamente.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
COMPARTILHAR
Matéria anteriorOferta estimulada
Próxima matériaRápida no gatilho