A onda pegou

Crescimento do mercado de guloseimas saudáveis insere o Brasil na trilha global

Reduto de destaque no desempenho do setor de alimentos e bebidas, a ala de produtos saudáveis, inclusos confeitos e guloseimas diet/light, funcionais e orgânicos, avança a passos largos. O cenário atual exibe o engajamento de um consumo impulsionado pela redução drástica de diferenças sensoriais entre itens regulares e especiais. Melhorado pelo efeito da escala de produção sobre os custos dos ingredientes, o preço dos itens, agora menos proibitivo, também contribui para o crescimento desses segmentos. As mudanças no perfil dos consumidores decorrentes de maior conscientização em todas as faixas da população valorizam o culto à boa forma física, disseminando uma busca maior por informação. Elas também estimulam metas de longevidade e beleza, através de maior seletividade na nutrição, agora diretamente associada à saúde e bem-estar. Desde o início da última década, o acesso de dezenas de milhões de consumidores turbinou a produção de uma gama crescente de alimentos e bebidas, abrindo caminho para o enriquecimento das linhas como forma de agregar valor e aperfeiçoar a qualidade. Os itens enquadrados na nomenclatura “zero”, “livre de” e “baixo teor “, bem como os que incorporam alegação de propriedade funcional e orgânico ganharam posição estratégica no planejamento da indústria. A condição de produtos para fins especiais, associados a um menu para diabéticos ou destinados a portadores de distúrbios nutricionais, foi substituída por amplos corredores de gôndolas, que agora visam um consumo geral engajado na onda saudável. Angelica, da Euromonitor International brasileiros gastam quatro vezes menos que os americanos em alimentos saudáveis. De acordo

 

Para continuar lendo cadastre-se gratuitamente.

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.
Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo.

 

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório