A grande correção

Thomas Hartmann
Thomas Hartmann A grande correção para baixo dos preços do cacau – há muito tempo esperada por alguns e temida por outros – finalmente aconteceu. Dentro de apenas 40 dias de operação, a cotação do mês mais negociado na Bolsa de Nova York despencou US$ 656, pulverizando ganhos que haviam sido construídos durante mais de oito meses. A queda se processou em condições de movimento intenso. Durante o mês de janeiro, a bolsa americana negociou um total de 938.394 contratos, cujo equivalente de cacau em grão corresponde a cerca de 2¼ safras mundiais. O detalhe que merece mais destaque é que não houve qualquer novo elemento de maior relevância para justificar o desmoronamento dos preços. A motivação principal parece ter sido de natureza macroeconômica, acompanhando uma fuga generalizada dos investidores de mercados de ativos de risco ao redor do globo, além – é claro – da posição já defendida há

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.

Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo gratuitamente.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório