A força do mercadinho

Expectativa de confiança do varejo de vizinhança abastecido pelo atacado cresce 57%

Análise da GfK, consultoria especializada em pesquisa de comportamento de consumo, indica que o mercado de vizinhança continua bastante competitivo frente aos modelos de hiper e supermercados. Com mais de 13 mil especialistas em pesquisa de mercado e vasta experiência em ciência de dados, a companhia alemã fornece insights globais, combinados à inteligência de mercado local, em mais de 100 países. Marco Aurélio Lima, diretor executivo da empresa no Brasil, comenta que a mais recente varredura doméstica envolveu consulta a 400 varejistas e mostrou uma continua evolução no formato de vizinhança, responsável por pulverizar itens distribuídos pelos atacados, incluindo as categorias do setor de confeitos (confectionery). Na entrevista a seguir ele detalha a pesquisa da GfK. Expectativa de confiança do varejista crescimento de 57% em 2017 em relação aos últimos dois anos. DR – O que a consulta apurou com relação à expectativa de confiança dos varejistas? Lima – De acordo com os entrevistados, o ano de 2017 iniciou carregado de incertezas e preocupações, como queda do poder do consumidor, aumento de tributos, inflação, redução de lucro e aumento no custo dos produtos. Esses e outros fatores decorrentes da instabilidade econômica eram capazes de retroceder parte de todo trabalho desenvolvido para o crescimento dos pequenos varejistas em seus bairros. Porém, o estudo revelou que, ao contrário do que se imagina, a expectativa de confiança do varejista reverteu, chegando a crescer 57% em relação aos dois últimos anos, conforme mostra o primeiro dos gráficos. Avanço do mercado de vizinhança acima de

 

Para continuar lendo cadastre-se gratuitamente.

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.
Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo.

 

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório